25/05/2022

11:37 PM

Chineses usam Twitter para expor apoio à Rússia e contrariar governo

Usuários anônimos do Twitter estão publicando e traduzindo posts nas redes sociais da China que mostram apoio à Rússia na guerra contra a Ucrânia, atraindo críticas do governo de Pequim. As informações são da CNN. As publicações tipicamente são marcadas com a hashtag #TheGreatTranslationMovement (algo como “O Grande Movimento de Tradução) ou publicadas por um perfil com esse mesmo nome. Uma delas traduz um post, que seria de uma das contas oficiais do governo chinês, atribuindo a autoria do ataque com mísseis a uma estação de trem em Kramatorsk, na Ucrânia, aos próprios ucranianos.

O ataque, que aconteceu no último dia 8, deixou ao menos 57 mortos e mais de cem feridos. Civis aguardavam no local para fugir da guerra para partes mais seguras do país.

Oficialmente, a China não se posicionou sobre o conflito. Em reunião das Nações Unidas, o embaixador do país, Zhang Jun, disse que ninguém deveria ser forçado a escolher um lado, mas que “a soberania e a integridade territorial de todos os países deveriam ser respeitadas”. A CNN falou com um dos administradores da página, que diz que o objetivo é expor para o Ocidente o sentimento nas plataformas chinesas, que são fortemente controladas. “Queremos equilibrar o esforço da mídia afiliada ao governo ao mostrar para o Ocidente o conteúdo que eles não querem mostrar”, disse a pessoa, que não quis se identificar por temer pela própria segurança.

A mídia estatal do país criticou as publicações, e disse que elas foram pinçadas com a intenção de atribuir declarações extremistas de alguns internautas a todo o país. O jornal chinês Global Times disse que os usuários são “atores de má-fé”, e um dos colunistas da publicação disse que o grupo inclui “forças hostis estrangeiras” que querem travar uma “guerra psicológica com a China”.

 

Por Uol Notícias

Copyright 2022 Resumo da Imprensa © Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido por Prima Vista Comunicação.