21/05/2022

7:15 AM

Funcionários da área administrativa do Iges-DF paralisam atividades

Auxiliares, assistentes e analistas administrativos do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) paralisaram as atividades na tarde desta terça-feira (5/4). Os funcionários protestam por melhoria do salário e dos benefícios.

Um dos empregados do Iges-DF, que pediu para não ser identificado por medo de represália, disse à coluna que o auxílio-alimentação da categoria é de R$ 18 por dia, valor que se mantém há dois anos. “Ontem, fizeram um acordo e deram 2% de aumento no salário. Pegaram de surpresa até os delegados sindicais. São 2 anos e 5 meses sem acordo, sem aumento de salário, pandemia, inflação e agora uma guerra”, afirmou.

Na segunda-feira (4/4), o Iges-DF fechou um novo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) com o SindSaúde, cuja vigência vai até setembro de 2022. Entre as modificações, estão reajuste salarial de 2% e redução da jornada de trabalho para quatro categorias.

Um dia depois, nesta terça-feira (5/4), o SindSaúde informou que se reuniu com o Iges-DF para “tratar da necessidade de readequação do texto do ACT”. Segundo o sindicato, os delegados sindicais “expuseram preocupação com a cláusula quarta que trata da jornada de trabalho que estabelecia a autorização da carga horária de 44 horas semanais para os empregados do Iges-DF”.

“Para as quatro categorias que tiveram redução da jornada de trabalho, ocorria uma dificuldade de interpretação se estava garantida a remuneração atual dos funcionários”, informou.

Segundo o SindSaúde, o Iges-DF disse que não haverá acréscimo de horas para nenhum funcionários com jornada de 40 horas e que houve falha na “construção do texto”. “Além disso, garantiu que os funcionários que tiveram a carga horária reduzida continuarão com as mesma remuneração”, pontuou.

Sobre o reajuste salarial de 2% e a manutenção do auxílio-alimentação, o SindSaúde informou que o Iges-DF disse que “não tem disponibilidade de recursos financeiros para aumentar os valores no momento, mas que a mesa de negociação continuará aberta”.

“O SindSaúde aproveita para destacar que não tem conhecimento e também não é o responsável por nenhuma convocação de paralisação dos funcionários do Iges-DF, além de paralisações nunca terem sido pauta durante as tratativas para o ACT”, afirmou.

O que diz o Iges-DF

Em nota enviada à coluna, o Iges-DF disse que não foi notificado pelo SindSaúde sobre a paralisação desta terça-feira. “Neste caso, o movimento de paralisação não é reconhecido como legal e espera-se que os participantes retornem imediatamente às funções a fim de não terem prejudicados o atendimento ao público e o pleno funcionamento das unidades”, informou.

 

Por Metrópoles

Copyright 2022 Resumo da Imprensa © Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido por Prima Vista Comunicação.